Prefeita denuncia supostos fura-filas da vacina à promotoria de justiça

[smartslider3 slider=”2″]

A prefeita de Rio Branco do Sul, Karime Fayad encaminhou a Promotoria de Justiça, relatório apontando nomes que supostamente teriam furado a fila da vacinação contra a Covid no município. Entre as pessoas investigadas, está um núcleo familiar que dizem ser funcionários de uma clínica privada de saúde. Os fatos chegaram até o conhecimento público depois de denúncias feitas pela indignação da população.

“Depois que estes nomes vieram até o meu conhecimento, imediatamente determinei a instauração de uma investigação interna para apurar a veracidade das informações que estavam circulando, as quais dão fortes indícios de fraude e irregularidade na fila da vacinação em nosso município”, informou a prefeita nesta terça-feira, 20, durante uma transmissão ao vivo nas mídias sociais.

Neste primeiro momento, estão sob investigação três estabelecimentos privados de saúde, que se enquadram no Plano Estadual de Vacinação, porém as informações por eles repassadas, dos profissionais que fazem parte do quadro funcional destas clínicas de saúde, estão sob suspeita.

“A partir destas denúncias, nossas equipes foram até estes locais averiguar se estes profissionais informados como funcionários, estavam dando expediente nestes estabelecimentos, porém estes trabalhadores não foram encontrados no exercício das suas funções para prestar estes esclarecimentos”, explicou a Prefeita Karime Fayad.

Constatada a ausência no ambiente profissional, a Prefeitura por meio da Secretaria de Saúde e Procuradoria Geral elaborou os apontamentos e encaminhou a Promotoria de Justiça para tomada de providências. “Agora será a justiça que vai dizer se estas pessoas têm ou não direito de receber a 2ª dose”, desabafou a prefeita.

Vale esclarecer que para este público alvo receber a vacina, foi necessário responder ao ofício encaminhado pela Secretaria Municipal de Saúde, no qual solicitava a relação de funcionários nas funções definidas nos contratos de trabalho, o qual frisava que quaisquer dados enganosos poderiam gerar penalidades legais.

A Prefeitura Municipal de Rio Branco do Sul aguarda o pronunciamento da Promotoria de Justiça.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *